1 de fevereiro de 2009

CV de Cidália de Brito

natural de Évora
licenciada em Pintura pela ESBAL
reside em Faro onde, durante cerca de 15 anos, leccionou Artes Visuais na Escola Secundária Tomás Cabreira

desde muito jovem manifestou vocação para múltiplas vertentes da criação artística… escrita, teatro, artes plásticas
logo em 1958 começa a fazer ilustração no DN Jovem e pouco depois dirige a página D. Quixote do Jornal Évora e é convidada a escrever no Jornal de Letras e Artes

durante vários anos fez trabalhos como copywriter e designer para agências de publicidade nacionais e internacionais, tendo ganho, em 1967, o 1º Prémio para Outdoor da RED espanhola, em 1968 - com o filme publicitário “Liberdade Livre, Libélula” - uma Menção Honrosa no Festival de Cannes e, em 1973, o 1º Prémio para o melhor filme publicitário desse ano: “Sou Pai...”
fez capas e arranjos gráficos para livros de poesia da autoria de Natália Correia, Mário Cesariny de Vasconcelos e José Carlos Ary dos Santos

em 1972 encena, na S.N.B.A., Lisboa, “Metalidade”, peça de teatro da sua autoria, que seria publicada pela editora Guimarães, tendo sido também a figurinista e directora de actores
na S.N.B.A. dinamiza Recitais de Poesia; publica, na Guimarães Editores (colecção Novíssima Poesia), “Cigarros Definitivos Pequenos”; publica ainda outro livro de poesia (na Contravento), com ilustração de Isabel Laginhas, bem como “Copérnico” e “Senhoril Primavera”, estes para crianças
é referenciada como 'poeta promissora' na "Antologia da Poesia Portuguesa (1940-77)", da autoria de Melo e Castro e Maria Alberta Menéres

nas artes plásticas dedica-se sobretudo à pintura, utilizando diversos materiais e técnicas, mas a sua inquietude criativa impulsiona-a na busca de outras formas de expressão - faz pintura em tecido e pintura com manipulação digital; o gosto pela textura dos materiais leva-a a desenvolver trabalhos de pintura com aplicação de têxteis, a trabalhar mais com tecidos e a fazer tapeçaria

como formanda participou em vários workshops artísticos, em Portugal e no estrangeiro e, com o objectivo de renovar o formulário tradicional, conservando embora algumas técnicas artesanais, promoveu cursos e deu formação em têxteis, cerâmica, madeiras e serralharia enquanto professora de Artes Visuais no Ensino Secundário, dinamizou e orientou inúmeros trabalhos e performances com alunos, tendo diversos deles sido apresentados publicamente, designadamente na Aula Magna da Reitoria da Univ. de Lisboa

a partir de 1980 participou regularmente em exposições colectivas e apresentou diversas individuais, em Lisboa (Galeria Quadrante, S.N.B.A. e muitas outras), em Faro (97 - colectiva da AAAPA, na Galeria Trem, individual no Museu Municipal), Alentejo e outros pontos do país; as instalações estão também presentes no seu percurso artístico, com vários trabalhos e exposições


31 de Janeiro de 2009

2 comentários:

Frederico J. disse...

Boa Tarde

Poderia-me dizer se se trata de Cidália de brito, tradutora e colaborado do almanaque "Os melhores contos de Júlio Verne"?

Obrigado

Frederico J. disse...

Apesar de não ter recebido qualquer resposta, penso que será a pessoa a quem me refiro. Poderia-me como posso contacta-la? Há algum email? Fico agradecido. Cumprimentos.